MTE Regulamenta Norma de Trabalho em Altura

26 de setembro de 2012 Deixe um comentário

Objetivo da medida é evitar a ocorrência de quedas de altura. O valor da multa varia de R$ 402,23 a R$ 6.078,09 por infração
Começa a valer a partir de quinta-feira, 27, a Norma Regulamentadora nº 35, que trata sobre trabalho em altura e define os requisitos e medidas de proteção para os trabalhadores que atuam nessas condições. A NR-35 foi publicada pela Secretaria de Inspeção do Trabalho em março deste ano e tinha um prazo de 6 meses para que as empresas pudessem se adaptar às suas exigências.
A principal obrigação do empregador prevista na NR 35 é de implementar em sua empresa a gestão do trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a adoção de medidas técnicas para evitar a ocorrência ou minimizar as consequências das quedas de altura. Essa gestão envolve, além das medidas técnicas, como a análise de risco da atividade, a implementação de um programa de capacitação. Já por parte dos trabalhadores, a principal obrigação é de colaborar com o empregador na aplicação dessas medidas.
Com o fim do prazo previsto para adaptação, os auditores fiscais do trabalho farão inspeção em estabelecimentos verificando o cumprimento do disposto na NR 35. O descumprimento da norma pode gerar punição as empresas, como autos de infração e nas situações de risco grave e iminente de acidentes pode haver interdição. A multa por não cumprir normas de segurança e saúde no trabalho varia em razão da gravidade da infração e do porte da empresa, podendo ir de R$ 402,23 a R$ 6.078,09 por infração.
“Na norma estão descritos e regulamentados o planejamento, a organização e a execução das tarefas de forma a garantir a segurança e saúde dos trabalhadores envolvidos, direta ou indiretamente”, explica o diretor do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, Rinaldo Marinho Costa Lima.
Para Marinho, a NR 35 preenche uma lacuna, pois as medidas de proteção contra queda de altura eram previstas apenas em normas específicas de segmentos econômicos, como a construção e a indústria naval. “Com a nova Norma, as obrigações agora alcançam todas as empresas, incluindo diversos setores industriais e segmentos como o de telecomunicações e energia elétrica, que utilizam trabalho em altura”, avalia.
Segundo o diretor, a NR 35 é uma importante ferramenta de prevenção de acidentes de trabalho. “Estima-se que as quedas estejam presentes em 40% dos acidentes de trabalho. Agora que a Norma está aprovada e publicada, o desafio é garantir sua efetiva aplicação nos ambientes de trabalho e o principal instrumento que temos para alcançar este objetivo é a inspeção do trabalho, mas precisamos contar também com o apoio dos empregadores, trabalhadores, sindicatos e profissionais da área”, afirma Marinho.

fonte: www.sinduscondf.org.br

Anúncios
Categorias:Uncategorized

Siglas e Abreviaturas de Segurança do Trabalho

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário
  1. AAF – Análise de árvore de falhas
  2. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental
  3. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas
  4. ABPA- Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes
  5. ABP-EX – Associação brasileira para a prevenção de explosões
  6. ABPI- Associação brasileira de prevenção de incêndios
  7. ACGIH – American Conference of Governametal Industrial Higienists
  8. ADC – Árvore de causas
  9. AET – Análise ergonômica do trabalho
  10. AET – Auditor fiscal do trabalho Leia mais…

O que é um SGA e o que é ISO 14001?

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário

 Um Sistema de Gestão Ambiental(SGA)é uma estrutura desenvolvida para que uma organização possa consistentemente controlar seus impactos significativos sobre o meio ambiente e melhorar continuamente as operações e negócios.
A ISO 14001 é uma norma internacionalmente aceita que define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de Gerencimento Ambiental.

A norma reconhece que organizações podem estar preocupadas tanto com a sua lucratividade quanto com a gestão de impactos ambientais.A ISO 14001 integra estes dois motivos e provê uma metodologia altamente amigável para conseguir um Sistema de Gestão Ambiental efetivo. Leia mais…

Norma ISO 14001

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário

Hoje é fato que a busca pela sustentabilidade é um caminho sem volta. Para o setor empresarial já é um conceito que está sendo internalizado, cada vez mais, de forma bem-sucedida. Sua aplicação está transformando os mecanismos de produção e as formas de gerir os sistemas de gestão das empresas, possibilitando a melhoria da competitividade em diversos níveis. Leia mais…

A evolução da certificação em conformidade com a Norma ISO 14001 e o fortalecimento da sustentabilidade empresarial

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário

Hoje é fato que a busca pela sustentabilidade é um caminho sem volta. Para o setor empresarial já é um conceito que está sendo internalizado, cada vez mais, de forma bem-sucedida. Sua aplicação está transformando os mecanismos de produção e as formas de gerir os sistemas de gestão das empresas, possibilitando a melhoria da competitividade em diversos níveis. O processo acelerou depois que a ISO 14001 surgiu e, segundo especialistas, ainda será, por um bom tempo, a sua principal diretriz.

O advento da certificação em conformidade com a Norma ISO 14001 no Brasil foi a mola propulsora para o desenvolvimento sustentável empresarial. Desde a instalação do ISO TC 207 – Comitê Técnico de Meio Ambiente da ISO, em 1994, o Brasil marcou presença em todas as regiões deste Comitê através do Gana – Grupo de Apoio à Normalização Ambiental, criado por meio da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Em setembro de 1996 foi emitido o primeiro certificado em conformidade com a Norma ISO 14001 no Brasil, entregue à empresa Bahia Sul Papel e Celulose, que se tornou, assim, a única empresa do setor de celulose no Brasil, e uma das poucas no mundo, a possuir um SGA – Sistema de Gestão Ambiental certificado com a norma internacional. Leia mais…

Nova NR 12 traz proteção específica para diferentes áreas

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário

A nova NR 12 promete revolucionar a proteção dos trabalhadores em relação às máquinas. Uma primeira olhada sobre o conteúdo já chama atenção pelo tamanho. Enquanto a versão anterior contava com um ­texto base de seis itens principais e mais dois anexos, um para mo­tosserras e ou­tro para cilindros de massa, a nova tem texto base com 19 itens principais, três apêndices, sete anexos e um ­glossário.

 

Leia mais…

DDS – Diálogo Diário de Segurança – Muitos incidentes quase viram acidentes…

22 de setembro de 2012 Deixe um comentário
   Muitos incidentes quase viram acidentes… São aqueles que não provocam ferimentos apenas por que ninguém se encontrava numa posição de se machucar. Provavelmente, se nós tivéssemos conhecimento dos fatos, descobriríamos que existem muito mais incidentes que não causam ferimentos do que os que os provocam.
  Você deixa algo pesado cair e não acerta o próprio pé. Isto é um incidente,mas sem ferimento.
 Você sabe o que geralmente faz com que um quase acidente não seja um acidente com ferimentos?
  Geralmente é uma fração de segundo ou uma fração de espaço. Pense bem. Menos de um segundo ou um centímetro separa você ou um amigo de ser atropelado por um carro. Esta diferença é apenas uma questão de sorte? Nem sempre.